5 Dicas que você precisa saber sobre design para aplicativos

1 de fevereiro de 2021By 0 Comments

Você sabia que o design, na sua forma mais abrangente, significa projetar? Embora seja muitas vezes entendido como um processo visual associado puramente à estética, hoje em dia o modo de pensar do designer é cada vez mais utilizado como uma ciência eficaz para solucionar problemas e focar na satisfação do usuário ao utilizar um serviço, uma ferramenta ou um produto. Quer saber como o design para aplicativos pode aumentar a satisfação dos usuários? Então continue lendo, pois esse post foi feito para você.

Sabendo que o design pode colaborar desde a concepção até o produto final, você pode estar se perguntando: como utilizar o design para gerar uma maior empatia com o usuário do meu aplicativo? Será que focar na eficiência, no consumo de dados e na capacidade que ele vai ocupar no celular já seriam suficientes para conseguir um diferencial no mercado?

gray monkey in bokeh photography

Na maioria das vezes não. Um processo de design eficiente foca na experiência do usuário e em como ele vai conseguir operar de forma fluída e amigável em um sistema tecnológico. Por isso, fazer um estudo mais aprofundado da arquitetura das informações, das histórias de usuários e do estilo gráfico que esteja de acordo com a temática do projeto (ou seja, o uso de uma paleta de cores e tipografia estratégicas) podem resultar em um significado muito mais elevado para o produto, fidelizar o cliente, e deixar o usuário mais confortável para ficar mais tempo no “app” (e até recomendá-lo para outras pessoas).

Por isso, podemos dizer que entre os principais objetivos do design para aplicativos, estão:

  • Ajudar o usuário a compreender o funcionamento do aplicativo;
  • Reduzir a curva de aprendizagem para um tempo menor;
  • Contribuir para a realização de tarefas, mesmo sem conhecimento prévio;
  • Orientar o usuário quanto à utilização do sistema.

Sempre mantendo em mente que um bom design é feito através de um estudo de perfil do usuário, da definição de objetivos, de situações de uso e a da observação dos requisitos das plataformas que serão utilizadas, pois, para atingir as diversas classes sociais, além de funcional, o sistema deve ser leve e compatível com os mais variados celulares.

As heurísticas de Nielsen para o design de interface

Gerar todos esses processos pode demandar muito tempo ou a necessidade de ter uma equipe muito grande se você não tiver em sua base referências de aplicativos e não estiver ciente dos estudos adaptativos que seu consumidor-alvo adquiriu nos últimos 15 anos. Um exemplo prático disso é que hoje os usuários sabem que clicar no “x” significa cancelar, ou que setas apontando para o lado esquerdo servem para voltar para a página anterior, ou que a tela do celular treme para indicar que uma ação está errada.

Para facilitar a geração de valor para seus aplicativos e auxiliar na construção do design partiremos agora para uma breve análise de como você pode empregar nos seus projetos as Heurísticas criadas por Jacob Nielsen, cientista da computação que estabeleceu parâmetros de usabilidade para construir layouts e composições de interfaces mais funcionais.

Heurística #1 – Visibilidade do status do sistema

É importante que você estabeleça de forma visual uma hierarquia para o sistema no intuito de gerar visibilidade para o usuário que acessa o aplicativo, onde ele se encontra e qual é a tarefa em andamento que está em execução. Um bom exemplo são as lojas virtuais, como Amazon, Mercado Livre e Americanas, que possuem o processo de checkout definido por etapas.

Os sistemas auxiliam o usuário para que ele se localize e passa a ideia de quanto tempo o usuário levará para efetuar o processo em curso. Um fator interessante é que a aplicação dessa etapa diminui as taxas de abandono no carrinho se o seu aplicativo tiver um e-commerce, já que o usuário pode não efetuar a compra se aquele processo passar a sensação de burocracia.

Heurística #2 – Compatibilidade entre o sistema e o mundo real

O segundo conceito está relacionado com regionalidades ou nacionalidades. Você deve focar em ícones, texturas ou imagens, que gerem empatia dependendo do público-alvo do seu aplicativo. Por exemplo, usar ícones folclóricos para regiões do nordeste faz muito sentido para gerar familiaridade. Mas é bem provável que esses símbolos não sejam globais para serem usados para aplicativos em geral, como são os ícones de carrinhos, que simbolizam efetuar uma compra, ou a lixeira, que representam a ação de excluir.

post-2014 iPhone beside Apple AirPods and succulent plant on white surface

Heurística #3 – Controle a liberdade para o usuário

Dar opções para que o usuário decida como deve se comportar é interessante. Imagine a partir da criação do aplicativo, o usuário possa ter controles de cor, luz, áudio, proporção e decidir se os avisos aparecem ou não e o modo que esses avisos podem aparecer. Ter essa liberdade é essencial para o usuário.

Heurística #4 – Consistência e padronização

A padronização ajuda o usuário a aprender e compreender somente em um uso como executar uma tarefa.

Atualmente lojas e sites virtuais possuem padrões similares para não confundir o usuário e caso esses padrões sejam modificados, provavelmente eles criarão problemas na usabilidade dos sistemas. Como por exemplo, se as pessoas em geral já são adaptadas com menus no topo de aplicativos, mudar essa lógica pode dificultar o ritmo de aprendizado. Por isso, é importante evitar padrões visuais muito diferentes para reforçar a marca, e dar consistência para o seu negócio e facilidade para os usuários.

white paper on brown folder beside silver key

Heurística #5 – Prevenção de erros

Esse ponto é necessário para que o usuário evite fazer ações indesejadas ou por engano. Você deve construir padrões que, quando necessários, exibam pop-ups de confirmação, toda vez que o usuário apertar o botão. Esse fator é muito perceptível em aplicativos de bancos ao realizar depósitos ou transações, ou mesmo quando aquela pessoa que está usando a aplicação esqueceu de preencher algum dado de cadastro.

Agora que você conheceu as 5 primeiras Heurísticas de Nielsen, você já pode começar a aplicar nos seus projetos de design para aplicativos, hein? No total são 10 Heurística, mas keep calm, que nós falaremos das outras 5 no próximo post! Até lá, acesse nossa página clicando AQUI e descubra como podemos te ajudar na construção do seu aplicativo para satisfazer os seus clientes e, assim, acelerar a evolução da sua marca!

About the Author

Deixe um comentário